Mais segurança para as mulheres

Foto: Pixmac

A  insegurança é um componente permanente  em nossas vidas, particularmente  quando se  trata de mulheres e  idosos.

Há mais dois anos, ciente da vulnerabilidade das mulheres e da  sua condição de vítimas preferenciais, venho defendendo, sem sucesso, um projeto-piloto que informe qual o procedimento adequado para prevenir  a violência e , nos casos em que esta é inevitável , o conhecimento  para lidar  com  os agressores.  Quando tive uma arma encostada na minha cabeça, em razão de um curso particular com especialista, soube como agir: sem gestos bruscos,falando lentamente como quem fala com um estrangeiro e mantendo a cabeça baixa ao entregar meus pertences. Saí incólume.

Desde a década de 70, nos Estados Unidos, para evitar o estupro- o grande pavor das mulheres-  o movimento feminista incentivou o treinamento pessoal para autodefesa. Aqui, no Brasil até um mero spray de pimenta é proibido. Estamos desamparadas.

***

DIREITOS HUMANOS, UMA CONQUISTA

Lícia agradecendo o troféu. (Foto: arquivo pessoal)

No  dia 25 de março, tive a honra e a alegria de receber o troféu “ As mulheres que fazem a diferença” conferido pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Segurança Urbana.

Foi um momento muito especial para mim que venho, há muitos anos, lutando por essa causa.

Quando ouço, frequentemente, que os defensores de direitos humanos só se preocupam com os bandidos , dou-me conta do quanto essa visão é  preconceituosa e injusta .Quem viola a lei merece punição, dentro das regras do Estado de Direito. Ninguém consciente pode defender a impunidade.

Pode-se afirmar, entretanto, que o grau de civilidade alcançado por uma sociedade está relacionado com o estágio em que nela estão assegurados os direitos humanos para o conjunto da população.

O reconhecimento de um conjunto de direitos a serem protegidos como direitos humanos é um poderoso instrumento para afirmar a dignidade de todas as pessoas  pela sua condição de seres humanos  dotados de razão e consciência.

Foto: ZH

A mudança  de antigos paradigmas  não é tarefa simples.

A formação da sociedade brasileira marcada por séculos de colonialismo, de mão de obra escrava, do patriarcalismo deixou uma herança cultural  onde o preconceito ainda se inscreve como algo natural. Ademais, os anos de autoritarismo onde a democracia foi golpeada e os direitos e garantias praticamente suprimidos contribuíram para tornar a construção da cidadania  um autêntico desafio.

A Constituição de 1988 – denominada Constituição Cidadã – com a participação de amplos segmentos da população brasileira irá  assegurar os direitos e garantias fundamentais, um marco na história brasileira.

Mas, sabemos que esse ideal democrático ainda necessita ser efetivado, o que exige a ação decidida do Estado através de políticas públicas para a inclusão de todos os setores marginalizados . Em razão disso, o combate à pobreza extrema vem sendo prioridade.

As constantes violações dos direitos humanos com a prática de maus tratos e condições subumanas nos presídios brasileiros é algo que precisa ser abolido.  É indispensável uma Educação de qualidade comprometida com a afirmação dos direitos humanos em que  o respeito à diversidade de gênero, de raça, de credo,de orientação sexual – o respeito à diferença – constitua  um valor irrenunciável. A ação conjunta do poder público e da sociedade organizada poderão operar  essa transformação. É um desafio do qual não podemos nos omitir.

Anúncios

Sobre Lícia Peres

Sou socióloga, feminista, fundadora do PDT, mãe do Lorenzo, cinéfila, amante da literatura e da música. Nascida em Salvador-BA, adoro os verões baianos, onde encontro minha família de origem. Escrevo sobre temas da atualidade e, seguidamente, faço palestras.
Esse post foi publicado em Geral e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s